A Workout Playlist

27.1.16 Veronica 2 Comments


Na primeira segunda-feira do ano, o que foi que eu fiz? Isso mesmo, finalmente me matriculei na academia! Depois de tanta enrolação, resolvi começar 2016 com o pé direito, dando o primeiro passo pra perder aqueles (muitos) quilinhos...

Daí, pra me dar um gás e conseguir malhar sem morrer de tédio, criei uma playlist no Spotify. Por enquanto tem dado certo, as músicas me ajudam a dar ritmo aos exercícios e quanto mais rápida a música, mais eu quero correr, haha! Essa primeira tem uma ~pegada mais rock~ (e eu me senti muito idiota escrevendo isso, mas tudo bem, é isso mesmo), mas com certeza vou criar outras mais pra frente e compartilhar aqui no blog :)

De The Vines a System of a Down, passando por Guns n' Roses, Pearl Jam, Queen e The White Stripes, essa playlist tem praticamente 1 hora de duração, que é mais ou menos o tempo que eu gasto na academia - pelo menos por enquanto, haha!


É isso! Mais alguém aí correndo atrás das resoluções de ano novo? Hahah! O que você gosta de ouvir quando vai malhar/ correr/ praticar exercícios?

Beijos e até o próximo post!








P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Twitter * Bloglovin'

2 comentários:

What do you have to say about this post? :)

The Selection (Kiera Cass)

24.1.16 Veronica 1 Comments


Ainda atualizando o blog com os posts antigos do Book Club, pois é. Essa resenha foi postada originalmente em julho de 2015, no The More that You Learn. O gênero escolhido naquele mês foi "Distopia" e resolvemos fazer algo diferente. Normalmente todas nós lemos o mesmo livro e no final escrevemos uma resenha - assim, é possível saber o ponto de vista de cada uma sobre uma mesma história. Dessa vez, porém, cada uma leu um livro. Achamos que podia ficar legal assim, já que esse é um gênero relativamente novo e algumas pessoas ainda não o conhecem muito.

A minha escolha foi "A Seleção", da Kiera Cass. Eu, como sempre, super atrasada pra hype das coisas, haha! Mas como uma galera tava numa rasgação de seda com esse livro há tempos, resolvi conferir. Pra saber o que eu achei é só continuar lendo! Assim como todas as resenhas aqui do blog, essa também não tem spoilers ;)

Sinopse: "Para trinta e cinco garotas, a Seleção é a chance de uma vida. É a oportunidade de ser alçada a um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás o rapaz que ama. Abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe - e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que nunca tinha ousado imaginar."

Apesar de já ter assistido adaptações cinematográficas de "Jogos Vorazes", "Maze Runner" e "Divergente", eu nunca tinha lido uma distopia até então. Eu já sabia um pouco do que esperar em termos de cenário, de forma geral, mas "A Seleção" destoa bastante desses outros.

A história se passa depois da Quarta Guerra Mundial, onde os EUA se transformaram em "Illéa", uma monarquia. A sociedade é agora dividida em castas, que vão da Um a Oito (sendo a Um a da família real e a Oito a mais baixa, dos miseráveis e indigentes). A narrativa é feita em 1ª pessoa pela protagonista, America Singer. Ela e sua família são Cincos e pertencem à casta dos artistas, trabalhando muito para ter o que comer. America mantém um relacionamento secreto com Aspen Leger, um Seis, com quem já planeja se casar e ter filhos.

Eis que um belo dia, America recebe um comunicado oficial do governo, convidando-a a se inscrever na Seleção. Mas isso é tudo que America menos deseja, pois aparentemente ela já tem tudo figured out e quer mesmo se casar com Aspen. No entanto, sua família a pressiona ao máximo para se inscrever (pois as famílias das participantes recebem ajuda financeira) e Aspen também pede que ela o faça -  no caso dele, mais por desencargo de consciência. America decide então se inscrever porque tem certeza de que não vai ser chamada. Mas, adivinha? Ela é uma das Selecionadas. Que surpresa, hein? Hahah!

A Seleção é um concurso onde 35 garotas de Illéa vão morar no palácio e disputar o coração do príncipe Maxon. Lá, America passa a ter um conforto que nunca imaginou ter, faz amigas e inimigas e tenta se acostumar à rotina da família real - que inclui lidar com ataques de rebeldes insatisfeitos com a coroa. E ela acaba percebendo que Maxon é muito diferente do que ela pensava. Daí pra frente não vou contar o que acontece, mas acho que você já deve imaginar...

O negócio todo é igualzinho a um reality show. Tem as câmeras acompanhando as participantes e, assim como em "Jogos Vorazes", tem um antes e depois, entrevistas e roupas bonitas feitas sob medida pra cada Selecionada. Mas não tem pessoas tentando matar umas as outras, fugir de um labirinto, etc. Por isso achei tão diferente das outras distopias que mencionei anteriormente: não tem ação, suspense. Eu diria que é bem girly e foca mais no romance do que no cenário político em si. Pelo menos nesse primeiro livro, não sei os outros. Só pra deixar claro, não achei isso algo ruim - só diferente.

Desde o começo, o livro tem uma narrativa bem dinâmica, bem "direto ao ponto", sabe? Ressalta só os acontecimentos mais importantes e ao mesmo tempo contextualiza bem a história. A autora também não se preocupa em descrever tudo tão detalhadamente. Isso foi bom porque me prendeu logo de início, então foi uma leitura super rápida e também leve. Gostei muito mesmo! :)
Tô louca pra ler os outros já ♥
Recomendo demais pra quem, assim como eu, nunca leu uma distopia, mas já é acostumado com romances e chick lit. Acho que pode ser uma boa introdução ao gênero!

Os livros quase ganharam uma série de TV pela CW, mas o piloto não foi aprovado pela emissora, que considerou o episódio pouco convincente. A série teria Yael Grobglas (a Petra, de "Jane the Virgin"!) como America, Lucien Laviscount como Aspen e Michael Malarkey (de "The Vampire Diaries") como Maxon. Mas, sinceramente, a julgar pelas cenas vazadas, foi melhor mesmo não ter sido aceita, porque não parece ter nada a ver com o livro, haha.

Ainda assim, os direitos da série de Kiera Cass foram comprados pela Warner Bros., então ainda existe a possibilidade de uma adaptação cinematográfica. Acho que daria um filme lindo!

Título: The Selection
Autora: Kiera Cass
Editora: Harper Teen
Número de páginas: 327

Espero que tenha gostado da resenha! Não deixe de conferir as outras, viu? A Isa escolheu "Maze Runner", a Wanila escolheu "Feios" e a Ceci, "Admirável Mundo Novo".

E aí, já leu alguma distopia? Quais você me recomenda? E d'A Seleção, o que achou?






P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Twitter * Bloglovin'

1 comentários:

What do you have to say about this post? :)

Books I Wish Would Be Made Into Movies

17.1.16 Veronica 0 Comments


Mais um post antigo do Book Club por aqui! Esse foi o primeiro post extra do projeto (ou seja, que não era resenha) e escolhemos falar de livros que nós gostaríamos que virassem filmes ou séries de TV. A princípio, parece fácil, né? O problema é que a maioria dos livros que eu li já foram transformados em filmes (ou serão em breve), haha! 

Aliás, o que mais tá tendo em Hollywood ultimamente é adaptação literária; tá cada vez mais difícil ver roteiros originais, principalmente que sejam bons... Mas enfim! Aqui estão alguns livros que eu ficaria feliz em ver no cinema ou na TV:

1. The Boy Series: "O Garoto da Casa ao Lado", "Garoto Encontra Garota" e "Todo Garoto Tem", da Meg Cabot: trilogia de filmes.
Esses livros são o material perfeito pra três filmes de comédia romântica, haha! Não é bem uma ~série~ porque os personagens principais são diferentes em cada livro - mas até aparecem, brevemente, nos outros. Nos livros, as histórias são contadas através de e-mails ou em forma de diário, então seria legal ver como eles iam escrever o roteiro a partir disso, haha! São histórias super gostosas de se ler, com personagens divertidos, situações fofas e acho que dariam ótimos filmes água-com-açúcar - daqueles pra ver com as amigas, pra ver sozinha ou pra ver com o namorado em qualquer ocasião.

2. Série "A Mediadora", da Meg Cabot: série de TV.
A série "A Mediadora" é uma das minhas preferidas, não só da Meg, mas da vida. Na época eu sofria, porque os livros demoraaavam pra chegar aqui em português, haha! Aquela sensação de ter que esperar quando suas séries tão em hiatus, sabe? Pois então. Hahaha! Enfim. Acho que daria uma ótima série de TV porque, afinal de contas, são seis livros (e a Meg resolveu lançar um sétimo agora em 2016! *-*). 

Suze é uma mediadora: consegue ver e falar com fantasmas. Depois que sua mãe resolve se casar de novo, ela se muda pra Califórnia (cenários lindos) e agora tem três meio-irmãos (comic relief) e um fantasma muito sexy, Jesse, assombrando seu quarto (romance, paranormal). Além disso aparecem alguns fantasmas perturbados e colocando a Suze em perigo. Fala sério? Eu com certeza assistiria a uma série dessas, haha!

3. "Cem Dias Entre Céu E Mar", do Amyr Klink: filme/documentário.
Amyr Klink realizou, em 1984, a primeira travessia do Atlântico Sul num barco a remo. Imagina? Da África até a Bahia, num barquinho. É uma história incrível e com certeza daria um filme maravilhoso!

4. "O Estranho Caso do Cachorro Morto", de Mark Haddon: filme.
O livro de estréia de Mark Haddon conta a história de Christopher Boone,  um garoto de 15 anos que sofre de síndrome de Asperger, uma forma de autismo. Um dia, Christopher encontra o cachorro da vizinha morto no jardim e é acusado de ter cometido o crime. O menino, que sabe tudo sobre matemática e quase nada sobre seres humanos, decide descobrir quem matou o animal, inspirado no seu personagem fictício favorito, Sherlock Holmes. Acho que daria um bom filme de suspense, mas nada muito pesado. Também acho legal livros e filmes que nos mostram a visão das pessoas que sofrem de alguma síndrome ou doença - é uma forma de conscientizar e, de alguma forma, tentar entender um pouco melhor o que se passa na cabeça delas.

5. Batgirl (dos quadrinhos da DC Comics): série de TV.
Batgirl foi um dos primeiros quadrinhos que li da DC - já conhecia o autor, Cameron Stewart, e acabei me interessando pela história e a ~pegada mais jovem~ dessa Batgirl. Gosto mais dos filmes da Marvel do que os da DC, mas ao mesmo tempo costumo gostar mais das séries da DC do que as da Marvel, haha! Quer dizer... isso até a Marvel se juntar com a Netflix, né? Acho que agora as séries tão páreo a páreo, hahah! Anyway, acho que daria uma série muito boa e que quanto mais super-heroínas melhor! ;)

Claro, Nem sempre as adaptações agradam aos leitores. Às vezes elas são até bem feitas, mas não são fiéis ao livro. Em raros casos, o livro pode ser melhor do que o filme. Mas o melhor mesmo é quando você vai no cinema e vê a sua imaginação se tornando "realidade", né? É do jeitinho que você pensava!

E você, que livros gostaria que virassem filmes/ séries?






P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Twitter * Bloglovin'

0 comentários:

What do you have to say about this post? :)

The Girl on the Train (Paula Hawkins)

14.1.16 Veronica 2 Comments


Mudei de blog, mas não parei com o Book Club - de jeito nenhum! Sexta-feira saiu o primeiro post do projeto esse ano e, na hora de colocar o banner no final, percebi que não fazia muito sentido. Afinal, todas as minhas postagens do Book Club ficaram no meu antigo blog... Daí resolvi que vou repostar tudo aqui, haha! Então, a partir de hoje, todo fim de semana vai ter um post antigo do projeto, só pr'eu não ficar desfalcada. Também é uma oportunidade pra quem perdeu as resenhas dar uma lida e conhecer o nosso clube do livro!

Vou começar pelo bestseller "A Garota no Trem", da Paula Hawkins! Fique tranquilo que não tem spoilers ;)

Sinopse: "Todas as manhãs Rachel pega o trem das 8h04 de Ashbury para Londres. O arrastar trepidante pelos trilhos faz parte de sua rotina. O percurso, que ela conhece de cor, é um hipnotizante passeio de galpões, caixas d’água, pontes e aconchegantes casas. Em determinado trecho, o trem para no sinal vermelho. E é de lá que Rachel observa diariamente a casa de número 15. Obcecada com seus belos habitantes – a quem chama de Jess e Jason –, Rachel é capaz de descrever o que imagina ser a vida perfeita do jovem casal. Até testemunhar uma cena chocante, segundos antes de o trem dar um solavanco e seguir viagem. Poucos dias depois, ela descobre que Jess – na verdade Megan – está desaparecida. Sem conseguir se manter alheia à situação, ela vai à polícia e conta o que viu. E acaba não só participando diretamente do desenrolar dos acontecimentos, mas também da vida de todos os envolvidos.

"A Garota no Trem" é um suspense/ thriller psicológico, mais ou menos como "Garota Exemplar". "Mais ou menos" porque eles só são parecidos mesmo no gênero, já que a história e os personagens não têm nada a ver, ao contrário do que muitos falaram. Na verdade, escolhemos esse livro porque queríamos ler um bestseller atual, e esse ficou incríveis 20 semanas como o mais vendido na lista do New York Times (!) e vendeu mais de três milhões de cópias só nos EUA. Motivo suficiente pra gente querer ler, né? 

A personagem principal é Rachel: uma mulher divorciada, desempregada e alcoólatra, que vive de favor no apartamento de sua amiga Cathy. Sem conseguir contar pra amiga que perdeu o emprego, Rachel continua fazendo suas viagens de trem todo dia, como se estivesse indo trabalhar. No caminho, ela observa as casas próximas dos trilhos do trem - duas em especial. Numa delas vivem "Jess e Jason" (um casal que Rachel julga ser muito feliz) e na outra, Tom (ex-marido de Rachel) e Anna (antiga amante e atual esposa de Tom). Quando "Jess" - que na verdade se chama Megan - desaparece, Rachel procura a polícia pra contar tudo o que sabe. Ou acha que sabe...



A narrativa é feita em primeira pessoa e em capítulos que vão alternando entre os pontos de vista de Rachel, Megan e Anna. A jogada da autora de escolher uma personagem principal que é uma unreliable narrator (acho que o termo em português é "narrador não confiável" mesmo) foi genial e contribuiu muito para o desenrolar da trama. Por Rachel ser alcoólatra e, por conta disso, ter muitos lapsos de memória, ela não se lembra ou não tem certeza do que aconteceu, o que acaba forçando o leitor a desconfiar dela e não saber bem em quem acreditar. 

Com isso, ao longo do livro a gente vai criando várias teorias sobre o que pode ter acontecido de fato, mas sempre tem uma nova informação que nos faz mudar de ideia completamente. E isso é muito legal, haha! Nessa ânsia de saber o que aconteceu, devorei o livro em dois dias. Uma vez que a história te prende, é realmente uma leitura muito rápida.

Não vou dar spoilers do enredo, claro, mas demorei muito até suspeitar da pessoa certa, hahah! A história me prendeu até o fim, onde tudo se encaixou direitinho e achei o desfecho bem surpreendente. Foi um cuidado da autora que eu gostei muito: o foco dos detalhes na trama e nem tanto em cenários ou personagens. Os personagens foram muito bem construídos sim, mas nem tão aprofundados - o que não atrapalhou nem um pouco, na verdade. 

Acho que a única coisa que não gostei foi ter que ficar voltando os capítulos pra ver as datas em que eles tinham acontecido. Isso mudava entre os capítulos/ personagens, então demorei um pouquinho pra acostumar. Problemão, né? 

No mais, é isso. Recomendo demais o livro - tô amando ler suspenses! :) 

Título: A Garota no Trem (The Girl on the Train)
Autora: Paula Hawkins 
Editora: Grupo Editorial Record 
Número de páginas: 377 

Ah! A boa notícia é que o livro já teve os direitos comprados pela Dreamworks e vai virar filme ainda em 2016, com estreia prevista para outubro. Emily Blunt interpretará a personagem principal, Rachel. A má notícia é que a autora resolveu não se envolver com o roteiro (o que significa: grandes chances de dar merda errado) e que o filme deve se passar em NY ao invés de Londres. Agora é esperar pra ver no que vai dar... 

Não deixe de conferir as resenhas das outras meninas! Amanda | Ceci | Isa | Victória | Wan

E você, já conhecia o livro? Vai tentar ler antes de sair o filme?






P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Twitter * Bloglovin'

2 comentários:

What do you have to say about this post? :)

#BookClub: 2016 Reading List

8.1.16 Veronica 8 Comments


O Book Club está de voltaaa! No primeiro post do ano, resolvemos compartilhar alguns dos livros que queremos ler em 2016. Mas antes, uma novidade: agora temos um grupo no Facebook para interagir com nossos leitores! 

Vai funcionar da seguinte forma: na 2ª sexta-feira do mês vamos liberar um tema para blogagem coletiva, sempre relacionado à livros (como esse aqui que você está lendo). Vamos avisar também qual livro será resenhado naquele mês. Assim, quem se interessar pelo tema ou pelo livro, pode escrever os posts também. As resenhas saem sempre na última sexta-feira do mês. Além disso, esperamos poder conversar bastante com todo mundo sobre livros e outros assuntos também! Clique aqui pra participar! :)

Voltando...

The Elite (Kiera Cass): Preciso terminar a trilogia "A Seleção". Talvez a quadrilogia, sei lá. Sei que li o primeiro muito rápido, não quis ler o segundo na sequência e nunca mais lembrei de ler o resto, haha!

Onde Cantam os Pássaros (Evie Wyld): Comprei na última Black Friday e tô louca pra ler logo! Um livro de mistério, numa edição maravilhosa da Darkside e escrito por uma anglo-australiana - precisa de mais motivos? Talvez seja o próximo, ainda esse mês.

Laranja Mecânica (Anthony Burgess): Um clássico que tá parado aqui na estante há tempos. Comprei essa edição especial lindíssima numa promoção, mas ainda não li.

Eu Te Darei o Sol (Jandy Nelson): Esse YA eu comprei na Bienal ano passado, depois de ler muitas resenhas positivas. Espero escrever a minha em breve!

Landline (Rainbow Rowell): Eu sei, tô atrasada no hype desse livro, haha! Confesso que só li meu primeiro livro da Rainbow Rowell no ano passado (Fangirl), então ainda quero ler os outros...

One Man Guy (Michael Barakiva): Mais um que entrou pra coleção na Bienal, mas ainda tá parado aqui. Quero muito ler por ser algo diferente do que eu estou acostumada e de um autor que eu nunca ouvi falar, haha!

Por Lugares Incríveis (Jennifer Niven): Talvez o livro mais comentado de 2015! Só ouvi coisas boas a respeito desse livro, que inclusive ganhou o Goodreads Choice no final do ano. Prioridade na lista, com certeza.

Mosquitolândia (David Arnold): Mais um YA fofinho na minha lista, com direito a road trip.

O Casamento da Princesa (Meg Cabot): Com a correria no final do ano, acabei não conseguindo ler o décimo primeiro livro da série "O Diário da Princesa". Claro que ele é o mais especial dessa lista, porque é autografado pela Meg Cabot. Só isso mesmo. Beijos.

Will Grayson, Will Grayson (John Green): O único livro do John Green que ainda não li. Talvez me ajude a esclarecer se adoro ou odeio os livros do autor, porque olha... Tá difícil, hahah!

The Complete Polysyllabic Spree (Nick Hornby): Mais um livro do Nick Hornby, porque tenho adorado todos dele! Esse é um pouco diferente, porque não tem bem uma história... É um livro sobre livros, em que o autor conta um pouco da sua experiência de leitura - o que ele já leu e o que ainda quer ler.

Precisamos Falar Sobre o Kevin (Lionel Shriver): Há anos eu quero ler esse livro e, enquanto isso, fico me privando de ver o filme, haha! Ano passado eu cheguei a comprar, mas ler que é bom, nada. Preciso dar um jeito nisso!

O Iluminado (Stephen King): Esse eu já vi o filme, mas ainda quero muito ler o livro. Afinal de contas, o livro é sempre melhor, né? E também sou doida pra ler alguma obra de Stephen King (não, não li nenhuma. Me julgue, haha).

Vengeance Road (Erin Bowman): Achei justo colocar um livro que eu ainda não tenho, porque com certeza vou comprar esse ano, assim que tiver oportunidade! Esse livro me conquistou pela capa incrível, mas, pela sinopse, a história parece ser muito boa também.

Ready Player One (Ernest Cline): Outro que ainda não faz parte da minha coleção, mas que despertou meu interesse e parece promissor!

Quadrinhos: Resolvi não colocar nenhum específico, porque eu já tenho alguns aqui em casa e outras dezenas na minha wishlist... Tem Marvel, DC Comics, Graphic MSP e muitos outros! Descobri o incrível mundo dos quadrinhos no ano passado e pretendo me aventurar ainda mais nas graphic novels em 2016.

Ta-da! Escolhi 16 livros pra colocar no post, mas no desafio do Goodreads minha meta é ler 32 livros esse ano. Você pode acompanhar minhas leituras e dar uma espiadinha na minha coleção de livros me adicionando lá!

Não deixe de ver as listas das meninas também: Amanda | Ceci | Isa | Victória | Wan 

E você, o que quer ler em 2016?






P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Twitter * Bloglovin'

8 comentários:

What do you have to say about this post? :)

Lush Haul

7.1.16 Veronica 2 Comments

Lush Haul

A LUSH, queridinha de muitos bloggers e youtubers gringos, voltou ao Brasil em junho de 2014. Depois de 7 anos fora do país, a marca de produtos vegetarianos, feitos à mão com produtos frescos e cruelty-free, abriu lojas em São Paulo e também uma loja online.Sempre fui curiosa pra experimentar os produtos (acho a proposta o máximo!) e essa curiosidade só aumentou no ano passado, quando passei a ver cada vez mais resenhas nacionais de sabonetes, cremes, shampoos e outros cosméticos. 

Depois de algum tempo com o pé atrás - afinal, é o tipo de coisa difícil de escolher sem saber direito cheiro, textura e tal, decidi arriscar minha primeira compra, em novembro... Gostei tanto, que em dezembro já aproveitei a promoção dos produtos de Natal! Resolvi então fazer um haul, mostrando as minhas comprinhas e falando um pouco sobre as minhas primeiras impressões :)
Lush Haul

Confesso que o que me animou mais a comprar foi todo o clima natalino. Quem me conhece sabe que eu fico enlouquecida com Natal e as tradições da época! Então foi só eles lançarem a coleção de fim de ano pra eu querer experimentar tudo, haha! Procurei inúmeras resenhas de cada produto que me interessou e, no final, optei por três... Comprei tudo pequeno, com medo de não gostar do cheiro ou sei lá. Valeu muito a pena!

Bem, vamos ao que interessa:
Lush, Shower Gels, Snow Fairy, Lord of Misrule, Rose Jam

O gel de banho Snow Fairy foi o primeiro que eu escolhi! Ele é um dos produtos sazonais mais famosos da LUSH, mas muitas resenhas falavam que o aroma era extremamente doce. Resolvi tentar mesmo assim, mas uma coisa eu aprendi: o cheiro da embalagem é sempre diferente no corpo. Na embalagem é sempre um odor forte, concentrado e, em alguns casos, enjoativo (como o Snow Fairy); porém, na hora do banho, é bem mais suave.

Na promoção de Natal, comprei mais dois géis de banho pela metade do preço. Meu pedido só chegou na segunda-feira, então só tive tempo de testar o Lord of Misrule (que é uma delícia e dá vontade de comer). Falta ver o Rose Jam, que tem uma fragrância bem doce, com absoluto de rosas.
Lush, Fairly Traded Honey, Santa's Belly, Reindeer Rock

Na minha primeira compra também escolhi o cheirosíssimo Reindeer Rock, um sabonete em barra, com infusão de amora alpina e óleo essencial de bergamota. Na promoção aproveitei pra comprar a gelatina de banho Santa's Belly, porque né? Deve ser muito gostoso tomar banho com isso, hahah! O aroma de maçã e vinho pode não parecer muito tentador à princípio, mas me surpreendeu bastante! Também comprei o shampoo Fairly Traded Honey, que eu tinha ganhado de amostra na primeira vez e me apaixonei pelo resultado nos meus cabelos - peguei logo o de 300g, porque o preço tava valendo a pena!
Lush, Bubblegum, Ocean Salt

Por fim, comprei esfoliante labial Bubblegum e a loção de limpeza esfoliante Ocean Salt. Dizem que esses dois são uma maravilha! O Bubblegum pra deixar os lábios macios e lisinhos, e a Ocean Salt pra acabar com os cravinhos. Volto em breve pra contar o que eu achei!

E foi isso! Ah, esqueci de fotografar a amostrinha que recebi de um frapê de banho, o Turkish Delight. É muito bacana eles mandarem essas amostrinhas, porque a gente fica conhecendo outros produtos da marca! Deu certo com o Fairly Traded Honey, que já me fisgou de primeira, haha...

Ainda preciso experimentar alguns produtos, mas por enquanto não tenho que reclamar da LUSH - pelo contrário, indico muito! O atendimento deles é de primeira, são super atenciosos e a entrega foi super rápida e veio tudo direitinho, sem vazar nem nada. Depois eu faço resenhas mais detalhadas de tudo. Quem sabe eu não consigo ajudar alguém na mesma situação que eu? Deixe nos comentários se tiver alguma resenha que você quiser ver primeiro!

Tem ainda alguns produtos disponíveis pela metade do preço no site, então corre lá! Pra quem mora em São Paulo, vale conferir tudo nas lojas físicas.

E você, já conhecia a marca? Tem algum produto preferido, algum que quer experimentar? Espero que tenha gostado!





P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Twitter * Bloglovin'

2 comentários:

What do you have to say about this post? :)

The Best of 2015

5.1.16 Veronica 2 Comments


Depois do Natal, normalmente bate uma nostalgia do ano que passou e, depois disso, eu já começo a planejar o próximo ano, cheia de expectativas. No final de 2015 não foi bem assim... Provavelmente por não ter sido um ano tão maravilhoso pra mim, eu pulei direto pros planos pra 2016, haha!

Mas, né? Não é possível que um ano tenha sido tão ruim assim pr'eu não lembrar de uma coisinha boa sequer. Então resolvi escrever esse post, pra refletir sobre algumas das melhores coisas que aconteceram no ano passado :)

* Fui no show do Foo Fighters no Maracanã
Em janeiro de 2015, finalmente pude ver ao vivo uma das minhas bandas preferidas! Foi, com certeza, um dos melhores shows da minha vida até hoje e muito emocionante poder cantar juntinho do Dave Grohl as letras que têm um significado tão especial pra mim 

* Fui no Rock in Rio pela 3ª vez
Apesar do line-up mais fraco das últimas edições, consegui comprar ingressos pra ver o System of a Down de novo! Me diverti horrores, cantei e dancei muito, haha!

* Li mais livros
Graças ao Book Club, consegui voltar com a minha rotina de leitura. Foram apenas 13 livros em 2015, mas uma melhora considerável se comparado aos anos anteriores. Também descobri o fantástico mundo dos quadrinhos, que eu pretendo explorar muito mais em 2016!

* Fui na Bienal do Livro
Essa Bienal deixou um gostinho de quero mais, de tão gostosa que foi! Conheci muita gente bacana nas filas, comprei alguns livros, peguei autógrafos e valeu a pena ter ido, mesmo com todos os perrengues, haha...

* Conheci alguns dos meus autores preferidos
Conheci e peguei autógrafos com David Nicholls, Sophie Kinsella e Julia Quinn na Bienal. Em outubro, a maravilhosa Meg Cabot esteve no Brasil pra lançar "O Casamento da Princesa". Foi mágico poder abraçar a autora que foi a principal responsável pelo meu amor à leitura e que me encantou desde pequena com algumas das minhas histórias favoritas. Melhor ainda foi ter uma das minhas melhores amigas do meu lado nesse dia ♥

* Comprei mais livros do que já havia comprado na vida inteira
Eu adoro colecionar coisas e confesso que passo por fases. Em 2015 foi a vez dos livros: aproveitei inúmeras promoções (principalmente nas lojas online) e adicionei muuuitos títulos à minha coleção. Tô longe de acabar de ler tudo, mas foi um dinheiro bem gasto, sem dúvidas.

* Mudei de apartamento
Depois de um ano e meio lidando com vizinhos insuportáveis, finalmente encontramos outro lugar pra chamar de lar, haha! É uma delícia morar aqui no Flamengo e nossa qualidade de vida aumentou bastante.

* Aprendi mais sobre amizade
Há tempos eu já vinha desconfiando que algumas amizades não são pra sempre, por mais que a gente queira... Em 2015, passei a aceitar isso melhor e entender que o que realmente importa não é a quantidade de amigos que você mantém, mas a qualidade. E que é muito melhor investir seu tempo e manter contato com as pessoas com as quais o sentimento e o carinho são mútuos. Elas com certeza valem o esforço.

* Aprendi a ser feliz comigo mesma 
Depois de terminar um namoro de dois anos, voltar a rotina de solteira pode não ter sido fácil no começo, mas depois que eu "peguei o jeito da coisa", foi ótimo! É muito ruim ficar dependendo dos outros pra fazer os programas que a gente quer, mas eu ficava meio desanimada de ir fazer as coisas sozinha. Mas, olha... Vale muito a pena. Nada como ser uma boa companhia pra você mesma.

* Me aventurei bastante na cozinha
Em 2015 eu literalmente botei a mão na massa, haha! Dediquei um bom tempo pra aprender a cozinhar e experimentar um monte de receitas deliciosas. Por enquanto eu tô melhor nos doces, mas já consigo me virar bem, haha :)

* Fui, mais uma vez, no Festival do Rio
Delícia que é poder ver um monte de filme diferente no cinema durante vários dias da semana! 

* Cuidei mais da minha saúde
No ano passado, decidi me cuidar mais: fui em alguns médicos que não via há tempos e resolvi pela primeira vez ir numa endocrinologista. Descobri que tenho uma síndrome metabólica, além de SOP. Já estou me cuidando direitinho, parei de tomar pílula e tem dado ótimos resultados. Minha ansiedade também melhorou demais, o que me deixou bem feliz!

* Escrevi cartas
Em 2015 eu escrevi algumas poucas cartas e a sensação de enviar cada uma delas é indescritível. Só não sei se era melhor do que receber uma cartinha no correio, assim, sem esperar. Nesse ano, pretendo escrever muito mais cartas e espalhar amor por aí ♥

* Fiz mais do que me faz feliz
Tirei muitas fotos, escrevi posts pro antigo blog, experimentei várias receitas, assisti um monte de filmes e séries, li muitos livros, fiz passeios incríveis, tive experiências novas, passei tempo com quem eu amo... Nada melhor, né?

* Tirei 8.0 no IELTS
No finalzinho do ano, em dezembro, dei meu primeiro passo pra algo muito maior que vem agora em 2016. Fiz o IELTS (International English Language Testing System) e, mesmo precisando de uma nota baixa, me esforcei bastante. Fiquei muito feliz com o resultado, mesmo sabendo que poderia ter ido um pouquinho melhor. Ter tirado 8 em 9 significa que eu sou uma "very good user" da língua inglesa, e essa é uma conquista e tanto!

Viu? Sabia que tinha um lado positivo de 2015, haha! Às vezes a gente acaba focando nas coisas ruins ou nas que não conseguiu fazer... Mas é sempre importante lembrar do que a gente conquistou e do que fez o nosso ano mais feliz. Encorajo você a fazer o mesmo e, no final, pode dar uns tapinhas nas próprias costas... Você merece!

E você, o que fez de incrível em 2015?





P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Twitter * Bloglovin'

2 comentários:

What do you have to say about this post? :)

Hello... again!

2.1.16 Veronica 0 Comments


Pois é... Um novo blog. Em três anos, esse já é o meu terceiro, haha! Mas é definitivo, prometo. Não é nem que o outro estivesse dando errado - pelo contrário, eu gostava muito dele! Mas eu precisava mudar. Então mudei!

Longe de mim acreditar nessas coisas de "ano novo, vida nova". Afinal, o tempo não muda as coisas, é você que tem que mudar. Mas, 2016 é excepcional. Esse ano eu sei que tudo vai ser diferente! São muitas as expetativas: eu vou finalmente me formar na faculdade, vou fazer mais um intercâmbio na Austrália, morar "sozinha", estudar algo que realmente me interessa, iniciar novos projetos... É muita coisa nova. E foi por isso que eu resolvi criar um novo blog!

O Sincerely, Ronnie surgiu com a intenção de registrar cada momento dessa nova fase e compartilhar um pouco do meu dia a dia com amigos, família e estranhos (que podem se tornar novos amigos, haha!). Se você já me acompanhava pelo The More That You Learn, esse continua sendo um blog bem pessoal e que vai abordar de tudo. Ainda vou falar de muitos filmes e séries, uma coisa ou outra sobre moda e beleza; vai ter post de comprinhas, resenhas de livros e receitas. Mas digamos que, com tanta novidade, o conteúdo deve mudar bastante. Pode esperar muitos posts pessoais, sobre viagens, mais cartas e, claro, tudo sobre a minha experiência do outro lado do mundo!

Bem, por enquanto é isso. Espero que goste do meu cantinho e que me acompanhe nessa jornada. Vai ser ótimo poder registrar tudo aqui e, quem sabe conhecer pessoas novas, trocar ideias e inspirar você de alguma forma.

FELIZ 2016!!! :)

P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Twitter * Bloglovin'

0 comentários:

What do you have to say about this post? :)