Um vision board é uma ótima ideia pra se inspirar, se organizar e ajudar a visualizar ideias, projetos e outros afazeres. Pra mim não substitui um planner (ou uma agenda), mas é bom ter ele ali, do lado da minha mesa, onde é só bater o olho e lembrar das coisas que tenho que fazer.

Eu comprei um quadro de cortiça baratinho na Ikea ano passado e, na época me ajudou bastante com a faculdade. Eu tinha um calendariozinho pendurado todo mês, onde ia marcando 'X' nos dias que iam passando e anotava as datas importantes de entregas de trabalhos, provas e férias. Às vezes colocava listas de compras de supermercado ou outros lembretes. E, claro, dava uma decoradinha básica pra ficar bonitinho, haha :)

Depois que terminei a pós e entre mudança pra cá e mudança pra lá, meu vision board ficou meio de lado. Mas resolvi arrumar ele de novo pra esse mês de outubro, pra combinar com o resto da decoração aqui no escritório. Gostei tanto que acho que vou voltar a decorar todo mês! E claro, resolvi compartilhar o resultado aqui no blog.

Usei um pedaço de uma guirlanda de feltro que comprei ano passado, com designs de fantasma, gato preto, abóbora e morcego. Dei um nó em cada ponta do barbante e prendi com os pushpins na cortiça, bem no topo. Preferi deixar uma folga no barbante, pra ficar pendurado como numa meia-lua, ao invés de numa linha reta.

Pra minha to-do list usei uma folha de um bloquinho da kikki.K e cortei a parte de baixo pra não ficar muito comprida. Certeza que vai ficar cheia de coisa pra fazer esse mês, mas tava doida pra postar e ficou em branco pras fotos mesmo, hehe... 

Resolvi decorar com fotos instantâneas dessa mesma época no ano passado (contei um pouco sobre meu último Halloween nesse post). Usei uma página de revista pra adicionar cor e textura ao fundo e usei washi tape pra fixar as fotos.




Postei aqui outro dia sobre o meu projeto pra esse mês, o 31 Days of Horror. Pra ficar mais fácil de visualizar os filmes que escolhi pra assistir esse mês, fiz um calendário (no Word mesmo) e imprimi pra adicionar no mural. Agora é só ir marcando o que eu assistir :)

Por fim, coloquei alguns post-its laranjas (sempre bom ter à mão), grudei outro morceguinho de feltro com fita e pendurei um chaveiro bonitinho em um dos pushpins. Gosto de poder pendurar coisas porque dão uma sensação de profundidade ao quadro, sabe?

Ta-daaa! :)

Et voilà, assim ficou meu vision board de Halloween!

Ah! Detalhe pro DIY rapidinho e de última hora: decorei o potinho da minha suculenta com washi tape. É bom que dá pra trocar sempre!

Bom, é isso. Espero que tenha gostado! Você também tem um vision board ou algo parecido? O que mais você colocaria no mural? Me conta o que achou nos comentários

Beijos!





P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Bloglovin'


Eu já contei aqui que tenho uma playlist de Natal que fica no repeat o mês de dezembro inteiro e enquanto eu faço coisas natalinas. Esse ano eu percebi que não tenho uma playlist pro Halloween e achei um absurdo. Tomei providências rapidamente, juntando minhas músicas preferidas que tem a ver com o tema. Já tá tocando aqui direto desde finalzinho de setembro!



Começa bem eclética essa playlist... Tem trilhas sonoras de Harry Potter, The Nightmare Before Christmas (tive que me conter pra colocar só duas), Ghostbusters e Addams FamilyThriller, do Michael Jackson, que não podia faltar. Mas aí do nada vira só rock, haha! Meu estilo preferido, não teve como fugir. Mas tem rock clássico, grunge e muito indie. Não são necessariamente músicas ~trevosas~, algumas só tem alguma referência no título... Mas sei lá, gostei, haha! Coincidentemente, no final deram 31 músicas. Juro que não foi pensado!

Então tá aí! Espero que você goste e que, se ainda não entrou, aproveite a playlist pra entrar no clima do Halloween. Me diz o que achou e quais outras músicas você adicionaria à lista :)

Beijos!





P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Bloglovin'


Esse post só tem coisa que eu gosto: Halloween, filmes e projetos! Contei nesse post aqui que no ano passado eu fiz uma maratona de Stranger Things e que assisti uns filmes de terror no dia 31 de Outubro. E eu tava pensando cá com meus botões: por que limitar essa maratona a um diazinho? Por que diabos não assistir filmes de terror o mês inteiro?! 

E foi isso. Resolvi que do dia 1º ao dia 31, vou assistir pelo menos um filme de terror por dia. A única questão era escolher apenas 31 filmes, nesse mar de filmes de terror... Aí pra tornar minha vida mais fácil, decidi que ia escolher dentre os filmes disponíveis na Netflix e no Stan (que é o concorrente australiano da Netflix). E pronto: criei minha lista! :)

01. The Shining (O Iluminado, 1980)
02. Psycho (Psicose, 1960)
03. Mean Girls (Meninas Malvadas, 2004)*
04. Jaws (Tubarão, 1975)
05. Bram Stoker's Dracula (Drácula de Bram Stoker, 1992)
06. 1922 (2017)
07. Before I Wake (O Sono da Morte, 2016)
08. Coraline (2009)
09. 28 Weeks Later (2007)
10. The Forest (Floresta Maldita, 2016)
11. Saw (Jogos Mortais, 2004)
12. The Mummy (A Múmia, 1999)
13. The Rocky Horror Picture Show (1975)
14. Gerald's Game (Jogo Perigoso, 2017)
15. The Ritual (O Ritual, 2018)
16. I Am the Pretty Thing That Lives in the House (O Último Capítulo, 2016)
17. Ouija: Origin of Evil (Ouija: A Origem do Mal, 2016)
18. Monster House (A Casa Monstro, 2006)
19. Final Girl (2015)
20. The Vault (2017)
21. Dolores Claiborne (Eclipse Total, 1995)
22. Child's Play (Brinquedo Assassino, 1988)
23. Sinister (A Entidade, 2012)
24. Insidious (Sobrenatural, 2011)
25. The Amityville Horror (2005)
26. Chilling Adventures of Sabrina (O Mundo Sombri de Sabrina, 2018)*
27. The Others (Os Outros, 2001)
28. Wolf Creek (Wolf Creek - Viagem ao Inferno, 2005)
29. The Texas Chainsaw Massacre (O Massacre da Serra Elétrica: O Início, 2006)
30. Carrie (Carrie, a Estranha, 1976)
31. It (It: a Coisa, 2017)

*Antes que você venha me contar que Mean Girls não é um filme de terror: eu sei. MAS, acontece que dia 3 de outubro é Mean Girls Day (and it's Wednesday), então não podia deixar de assistir. Fora que tem uma das cenas mais clássicas de Halloween do cinema, me deixa. Ah! E Chilling Adventures of Sabrina é uma série original da Netflix que vai ser lançada no dia 26 e tem tudo a ver com Halloween também! É baseada nos mesmos quadrinhos que deram origem àquela série "Sabrina, Aprendiz de Feiticeira" - que, não sei você, mas eu adorava quando era criança.

No mais, tem vários filmes baseados nos livros do "Rei do Terror", Stephen King: The Shining (um dos meus filmes preferidos de todos os tempos), Gerald's Game, Dolores Claiborne (ainda não vi nenhum dos dois), Carrie (o original, porque o remake é ruim demais, haha) e It. It ficou pro Halloween pelo seguinte: eu morro de medo de palhaços. É uma fobia real que eu quero superar, mas até o momento eu tenho pavor. Então boa sorte pra mim, haha...

A lista é minha, então também tomei umas liberdades e adicionei filmes infantis (Coraline e Monster House) e filmes que não são tão de terror assim (The Mummy). Queria poder ter adicionado mais filmes clássicos - o único filme do "Mestre do Suspense", Hitchcock, disponível na Netflix era Psycho. Mas pelo menos tem Jaws, Dracula e The Rocky Horror Picture Show. Inclui alguns "novos clássicos" também: Saw e Insidious - os primeiros das franquias.

Tem muitos filmes que já vi há muito tempo e não lembro direito, mas também tem muita coisa que eu não faço ideia do que é ou nunca tinha ouvido falar até procurar, hahah. Muito curiosa pra ver Before I Wake e The Forest. Mas o que eu quero mesmo é ver se eu acho um filme que me dê medo de verdade, haha! Eu nunca achei muita graça em filmes de terror e sou ótima pra prever os famosos jump scares que o pessoal gosta de abusar no cinema. Mas tô pra achar um filme que me dê um cagaço mesmo, sabe? Muito provavelmente It vai ser o primeiro, mas depois eu te conto!

Maior decepção foi não ter nenhum filme dirigido pelo Tim Burton na Netflix. Mas eu tenho certeza que vou dar um jeito de assistir The Nightmare Before Christmas, como eu faço todo santo ano. E você, gosta de filmes de terror? Tem um preferido ou algum pra me indicar? :)

Beijos!





P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Bloglovin'


Chega a primavera em setembro e eu já fico com a mão coçando pra comprar decorações de Halloween e encher a casa de abóboras, fantasmas, morcegos e gatos pretos, hahaha! Halloween é tradição mesmo nos Estados Unidos - a galera aproveitando o outono, pulando em pilhas de folhas secas, decorando abóboras, enfeitando a casa pro Halloween,  comendo e bebendo pumpkin spice everything e saindo trick or treating no dia 31 de Outubro. 

No Brasil, o "Dia das Bruxas" não é muito comemorado não. Tem, é claro, escolas que falam pras crianças se fantasiarem no dia ou algumas baladas que adotam o tema como desculpa pra um carnaval fora de época, onde tudo vira festa à fantasia. Mas não tem uma ~comoção geral~ pra comemorar essa época e muito dificilmente se encontram decorações pra vender ou eventos relacionados - que eu me lembre agora, só uma maratona de filmes de terror num cinema no Rio. E acho que minha vida toda umas duas pessoas foram pedir "doces ou travessuras" na minha porta e eu nem tava preparada... Pelo menos as crianças não fizeram travessuras, só foram embora bem decepcionadas, hahah!

Pra minha profunda tristeza, o Halloween também não é tradição na Austrália. Acho que tem a ver com a rejeição deles em relação à cultura norte-americana (mesmo estando "errado", porque o Halloween na verdade é de origem celta). Mas não é que não tem Halloween at all - é mais comum que no Brasil, só não chega a ser aquela festa toda como nos EUA. Nos anos que passei essa época aqui (inclusive agora), sempre encontrei decorações pra vender em lojas de departamento e outras lojas que aproveitam pra lançar produtos temáticos. E volta e meia tem os trick or treaters.

Não sei exatamente porquê (de repente por influência dos filmes e séries), eu sempre adorei o Halloween. Aliás, vamos combinar que eu aproveito a oportunidade pra celebrar praticamente qualquer coisa, haha! Então no ano passado eu resolvi comprar algumas decorações e enfeitei meu escritório e algumas partes da casa sob reclamações do Alex de "pra quê você vai decorar tudo? A gente nem comemora Halloween aqui". O que entrou por um ouvido e saiu pelo outro, porque eu não dou a mínima se a Austrália inteira não quer aproveitar essa época maravilhosa - na verdade, eu sinto muito por eles. Mas EU comemoro Halloween e é isso que importa ;)

Em outubro do ano passado eu ainda estava terminando a minha pós-graduação, então não deu pra compartilhar nada por aqui, infelizmente. Até vlog eu fiz, acredita? E não editei nem postei nada. Só no Instagram, fiz vários stories. Mas pra não passar em branco, aqui vão algumas fotos do que eu fiz no último Halloween!

Comprei enfeites baratinhos no Kmart e na Target. Aqui dá pra fazer a festa, literalmente, gastando muito pouco. Acho que devo ter gastado uns 15 ou 20 dólares (australianos) e comprei guirlanda, balão, copinhos, guardanapos... Enfim. Não tem uma variedade enorme de coisas pra escolher, mas acho que dei sorte e as decorações estavam uma gracinha no ano passado! Tô reaproveitando tudo esse ano, haha....



Decorei a casa, mas nada muito exagerado, porque 1. eu não comprei muita coisa e 2. eu dividia a casa com outras pessoas. Se eu não tivesse terminando a pós, acho que tinha animado dar uma festa!

Confesso que meu dinheiro mesmo ficou na Lush. Fiquei doidinha com a coleção de Halloween e experimentei várias bath bombs e bubble bars diferentes e cheirosíssimas.

Fui numa festa de Halloween com a Hannah numa sexta-feira 13! O engraçado foi que, como foi tudo de última hora, eu não tive tempo de elaborar na fantasia; daí minha sorte é que o Alex tinha me dado de presente essa fantasia de donut. Eu fui a única pessoa vestindo algo divertido, a festa inteira tava com fantasias assustadoras. Awwwkwaaaard.


Talvez um dos maiores motivos pro Halloween não morrer na Austrália é que os supermercados vendem share packs de chocolates (eles vem em miniatura) super baratos, haha! Teoricamente é pras crianças... Mas eu comprei vários tipos diferentes fiz uma surpresa pros meus housemates :)

No final do mês saiu a 2ª temporada de Stranger Things e eu, o Alex, a Kiaya e o Dylan maratonamos tudo. No dia 31 mesmo eu saí fantasiada de donut, porque o Alex me desafiou, haha. Ele que falou tanto que não animava pra Halloween, mas resolveu improvisar uma fantasia de última hora (se não deu pra perceber, a blusa dele serviu de inspiração). Também fiz uma maratona de filmes de terror (assisti Evil Dead, Friday the 13th - os remakes; e Donnie Darko), tirei várias fotos instantâneas e tomei um banho com uma das bath bombs que comprei! E foi assim meu All Hallows' Eve em 2017 

Pra esse ano tenho planos mais elaboradosss, haha! Inclusive, decorei a casa hoje e tô doida pra poder começar a compartilhar tudo por aqui (e no Instagram!). E você, vai comemorar o Halloween? :)

Enjoy the spooky season xxx





P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Bloglovin'


Se eu esperasse mais três meses, isso aqui podia ser uma retrospectiva de 2018, haha! Mas, só pra fica registrado, resolvi escrever esse post resumindo beeem os últimos meses. So here's what happened:

Os donos da casa que estávamos morando - eu, Alex (meu namorado), Kiaya e Dylan (um casal amigo nosso) - em Paddington resolveram que queriam se mudar de volta pra lá e não renovaram o contrato. Então, depois de uma busca infernal por uma casa pra quatro pessoas, três gatos e um cachorro, encontramos uma casa em Mitchelton. Nos mudamos em fevereiro. A casa era enorme, tinha espaço de sobra e ficava num bairro super tranquilo, mas que tinha tudo que precisávamos. E ainda era pertinho do meu trabalho!

Infelizmente, o contrato inicial da casa era só de 6 meses e, no final, a Kiaya resolveu não renovar porque queria voltar a morar com o pai dela, pra economizar. O Dylan resolveu fazer o mesmo. E eu e o Alex não poderíamos pagar o aluguel da casa sozinhos. Na real eu nem achei tão ruim, porque já tava rolando uns stress que eu não tava afim, sabe? Hahaha... Mas depois eu conto melhor sobre porque morar numa share house nem sempre é como um episódio de FriendsEnfim, eu e o Alex procuramos um lugarzinho só pra nós dois, mas, por n motivos, não rolou.

Pra piorar a situação, o meu emprego num estúdio de fotografia aqui em Brisbane foi ficando cada vez mais escasso... Fora que o salário era uma droga, hahah! Mas por ser um trabalho muito sazonal (tem certas épocas cheias de eventos e formaturas, outras nem tanto), o dinheiro foi apertando. E foi uma fase bem difícil aqui pra nós, vivendo paycheck to paycheck, sem poder gastar um tostãozinho que não fosse com aluguel, contas ou comida.

A única coisa boa dessa fase foi o Aladdin. O Aladdin é um dos três gatos da Kiaya, nossa (agora ex-) housemate. Ela adotou ele em março do ano passado, quando eu e o Alex começamos a namorar. Desde então, ele é o nosso xodó. Sempre adoramos brincar com ele, dividir nossa comida e mimá-lo de todas as formas possíveis. E digamos que ele percebeu e que não tava tão interessado em dividir a atenção com outros dois gatos, hahaha... Então ele "escolheu" a gente. Quando decidimos que não íamos mais morar juntos, a Kiaya me perguntou se eu gostaria de ficar com o Aladdin, já que criamos laços com ele e que ela tinha entendido que o gato gostava mais da gente do que dela, haha! Daí (óbvio) aceitamos ficar com a coisa mais fofa do mundo, haha! O Aladdin - ou como eu gosto de chamar: Laddie, é o nosso furbaby e me transformou numa cat person

Bem, mas ainda tínhamos que achar um lugar pra morar. Os pais do Alex ofereceram pra gente ficar na casa deles e nós quase fomos. Mas de última hora, a Hannah (minha melhor amiga aqui na Austrália, de quando vim pela primeira vez em 2010) disse que o contrato dela tava acabando também e perguntou se não queríamos dividir uma casa com ela, pra economizar no aluguel. Morar com meu namorado, meu gato e minha melhor amiga? Done deal. Aplicamos pra algumas casas e rapidinho fomos aceitos. Nos mudamos no meio de agosto. Agora moramos eu, Alex, Hannah, Dawson (o filho dela de 3 anos), Aladdin e Saber (o greyhound da Hannah). Tem funcionado até melhor que a nossa última casa, o único problema é que fica num bairro super afastado e é completamente residencial, não tem nada perto que eu possa ir andando. Mas paciência, we can get around it.

Depois que nos mudamos, ficou praticamente impossível ir trabalhar no estúdio, de tão longe. Então comecei uma incessante busca por emprego, aplicando pra mil vagas em qualquer área todo santo dia. Foi me dando uma tristeza, um sentimento de helplessness, porque não aparecia nada. Eu ficava pensando "por que diabos eu tenho um bacharel em Relações Internacionais e uma pós-graduação em Marketing e não consigo arrumar um fucking emprego?!". Certamente eu tenho capacidade pra trabalhar como vendedora ou garçonete, mas só faltava a experiência no meu currículo. "Desculpa que eu tava ocupada investindo na minha educação, mas dá pra me deixar trabalhar agora?", haha... Mas, já dizia Renato Russo: "se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo. Quem acredita sempre alcança!", não é mesmo? Então depois de muito persistir, consegui não um, mas DOIS empregos de uma vez, haha!

Então é. Esse ano tem sido basicamente uma montanha russa de emoções! E assim, eu sei que pode não ser a melhor hora pra voltar com o blog... Mas eu tô animadíssima pro Halloween e Natal! Essa é minha época favorita do ano e foi um dos motivos pelos quais eu quis voltar a blogar, inclusive. Tenho vários planos e quero compartilhar tudo o que eu puder por aqui :)

Catch ya later!





P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Bloglovin'


É fácil inventar uma desculpa: "eu tô sem tempo", "tô ocupada com isso aqui", "não tô me sentindo muito inspirada", "minha vida tá um caos", "meu gato roubou meu mouse". Claro que, em muitas ocasiões, isso foi a mais pura verdade, hahah... Mas o post de hoje é pra falar sobre o verdadeiro motivo pelo qual eu não blogo tão frequentemente quanto gostaria.

Já vai soar clichê de cara, mas... eu sou bem perfeccionista. Isso não é uma entrevista de emprego em que eu tenho que falar dos meus defeitos (e eu nem recomendaria você falar isso em uma, ever), então só tô mandando a real pra você mesmo. Eu me esforço pra fazer o meu melhor em praticamente tudo o que eu faço - e eu posso dizer isso hoje porque não tenho mais trabalhos de faculdade pra entregar de última hora, haha! Eu detesto trabalhos meia-boca e eu não gosto que as pessoas achem que eu fiz um. Eu também odeio tentar fazer alguma coisa pela primeira vez e perceber que eu não sou boa naquilo. Parece óbvio - algumas coisas precisam de prática, claro, mas às vezes eu simplesmente... não consigo. Ou não tenho paciência pra errar mil vezes. E eu sou assim em relação à várias coisas. Pra piorar, eu penso demais. Sabe o tal do overthinking? Então. Costuma acompanhar pessoas ansiosas. Eu todinha. Eu penso demais em tudo que eu vou falar ou fazer, antes e depois de falar ou fazer. It's the worst,I'll tell ya

ANYWAYS. Tudo isso pra dizer que eu costumo ser assim em relação ao blog também. Eu sempre quero o post perfeito, incluindo todas as informações possíveis, escrevendo o melhor texto que eu puder, com a melhor foto pra ilustrar, editada com perfeição e SÓ AÍ postar. Mas o que acontece, na maioria das vezes, é que eu desisto no meio do caminho porque não vai ficar do jeito que eu quero ou porque vai demorar quatrocentos anos pra terminar. Eu tenho um milhão de ideias pra posts que nunca são colocadas em prática porque "eu preciso me informar sobre isso" ou "eu não tenho uma foto boa daquilo". E acredite, eu dificilmente acho que alguém ia perceber que tá faltando a tal informação ou que minha foto foi tirada com celular e tá sem filtro. O problema é que eu tenho as coisas de um jeito (perfeito) na minha cabeça e eu quero que esse blog transmita exatamente o conteúdo que eu vislumbrei, o conteúdo que eu adoraria produzir se eu tivesse condições. Mas adivinha? Eu não tenho. Meu blog não é meu trabalho e eu não posso me dedicar a ele 24/7. Eu sou uma pessoa normal. Eu tenho dois empregos, eu tenho que limpar a casa, eu tenho um namorado, um gato, meus hobbies e meus filmes e séries pra maratonar na Netflix, hahah!

O negócio é que eu sinto falta de blogar. Eu sinto falta de escrever, de tirar fotos (nem tanto de editar, pra ser sincera...), sinto falta de interagir com outras blogueiras (eu conheci tanta gente bacana nos últimos anos!), eu sinto falta de ter meus projetinhos, de compartilhar um pouco de tudo com meus amigos e família que moram longe e, mais que isso, sinto falta de ter algo para relembrar. Ler uma postagem no blog sempre tem um significado mais especial pra mim do que qualquer random shit que eu publiquei no Facebook há 8 anos. E agora essa "coisa" que está dentro da minha cabeça, essa... obsessão em fazer tudo certo tá arruinando tudo. Então eu decidi, porque afinal de contas esse é um blog pessoal, que eu vou postar o que eu POSSO. E isso não significa que vai ser um crappy post que eu escrevi em cinco minutos. Eu não quero postar qualquer coisa só pra falar que tô mantendo o blog atualizado todos os dias da semana com porcaria. Eu ainda prezo pela qualidade (não ficou óbvio? haha). O que eu quero dizer é que vai ser mais raw. Que eu não quero perder tempo lendo texto dez vezes e decidindo se coloco uma vírgula lá ou não, que eu pretendo gastar menos horas editando fotos ou simplesmente não tendo que me preocupar em incluir links em cada parágrafo, como se eu tivesse fazendo referências bibliográficas no TCC. E se eu não tiver uma foto incrível pra ilustrar o post... well, shit. Vai ter que ser free stock então.

Eu sei que ainda tenho muito que me adaptar ao que estou propondo, mas espero chegar lá. Também tenho inúmeras questões pairando na minha cabeça: Blog ou Youtube? Escrever/ gravar em português ou inglês? Crio outro blog pra mim e pro Alex pra postar outro tipo de conteúdo? E aí as coisas não andam. Mas falando sério: eu quero voltar a escrever, postar e compartilhar mais. Eu tô construindo uma vida aqui do outro lado do mundo, experimentando tantas coisas novas... E sim, às vezes não tenho tempo ou motivação mesmo. Mas isso aqui sempre foi terapia para mim. Vai ser ótimo voltar com o blog, seja pra falar da minha vida adulta, o que cozinho pro jantar, o que tenho feito ou como estou viciada na Lush (tá virando um problema real, haha). Então, é isso. Espero que você continue por aqui, mesmo que não seja o melhor blog de todos. Mas ainda é de coração






P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Bloglovin'

Hoje, dia 2 de Janeiro de 2018, o blog completa 2 aninhos. Já tem mais tempo que eu tô nessa Blogosfera... Não tô nem contando os blogs de raiz que eu tinha lááá em 2005, na época do Blogspot, Flogão e Fotolog. Nem meus 3875 blogs diferentes no Tumblr, haha! Mas em 2013 eu resolvi voltar a blogar de vez e não parei desde então. 

Comecei com o Movie Bums, um blog com reviews e dicas de filmes e séries, mas depois quis escrever sobre outras coisas também e foi então que criei o The More that You Learn. Foi com o TMTYL que conheci vários blogs e blogueiras lindas e fiz um monte de projetos, de fotográficos a literários, que renderam centenas de posts e me fizeram me apaixonar mais ainda por esse mundo dos blogs. Era um vício - não só criar conteúdo a todo momento (sempre tirando fotos pra um post mais tarde ou pensando em novos projetos e temas pra abordar no blog), mas também consumir conteúdo de vários blogs. Aí, quando o TMTYL já não tava mais com a minha cara, tanto no layout como em alguns posts mais antigos que já não tinham tanto a ver comigo, resolvi criar o Sincerely, Ronnie.

E olha, dói ter que admitir, mas eu tinha grandes planos pra esse blog. Na verdade, eu tinha grandes planos pra 2016, que foi quando criei o blog (e um dos motivos d'eu ter criado era justamente porque minha vida ia mudar espetacularmente e eu eu achei justo dar uma nova cara ao blog, pra combinar com a nova fase). Mas aí foi tudo por água abaixo... Eu ia me formar em Julho e vir pra Austrália pra fazer mais um intercâmbio, um curso técnico. Mas aí o último semestre da faculdade, mesmo com duas matérias, foi o caos e ao invés de ler outros blogs e escrever no meu, eu tive que meter a cara nos livros e escrever minha monografia. Foi ótimo, super recomendo. Só que não. Pra completar, meu tal curso técnico aqui na Austrália foi cancelado - um acontecido sem precedentes na história das agências de intercâmbio. Just my luck. E aí foram mais seis meses de espera pra vir pra Austrália e os seis meses mais longos da minha vida, em que eu tinha zero motivação pra qualquer coisa e ao mesmo tempo tentava me manter ocupada ou arrumar um emprego, só contando os dias pro ano acabar. No fim, arrumei o que fazer: fiz um curso de fotografia de 2 meses, viajei pro Colorado e foi uma loucura pra correr atrás de visto e documento e passagem e mala e...... Não vou dizer que 2016 foi de todo horrível, mas não foi nenhum mar de rosas. Fiquei feliz quando acabou.

E aí veio 2017, a vida nova que eu tanto esperava e uma correria sem fim. E, de novo, o blog ficou abandonado. Com tanta coisa pra escrever aqui, tanta novidade pra contar, lugar pra mostrar... eu escrevi 5 posts o ano todo, hahaharindopranãochorarhahaha! Mas eu senti falta. De verdade. E aquele vício de produzir conteúdo não saiu de mim. Eu continuei aqui, tirando foto, anotando ideias. Até novos projetos eu bolei! Agora vamos ver quando que vai dar tempo pra botar em prática. Eu preciso de mais horas no meu dia, haha! 

Francamente, acho que se ainda tem meia dúzia de pessoas lendo esse blog, é muito, haha! Mas pra mim tá bom. Ter um blog de sucesso, milhões de seguidores e ganhar dinheiro com isso nunca foi minha intenção. Sempre foi sobre compartilharE é por isso que eu não vou deletar ou criar outro. Mas também não vou me cobrar tanto em 2018. Afinal de contas, o blog é pra compartilhar um pouquinho da minha vida, mas aí que tá: a vida a gente tem que viver. Quando dá, a gente registra, tira foto, faz vídeo. E quando dá, a gente vem cá e edita foto, escreve post, desabafa, publica e mata a saudade de escrever. Mas primeiro a gente vive, depois a gente conta a história.

Eu queria que esse fosse um post tradicional de aniversário de blog, daqueles que ressaltam todas as conquistas, projetos e posts mais lidos. Mas ao invés disso é um monte de explicações de porquê eu sumi e não consegui manter meu blog atualizado no último, sei lá, um ano e meio. Mas eu não mudaria nada não. Tudo em seu tempo

"Tá, mas e pra 2018? Não vai ter nada aqui de novo?". Vai! Again, não posso prometer frequência, mas esse ano, com o ritmo mais estabelecido aqui na Austrália, eu ACHO que vou conseguir atualizar o blog mais vezes. Eu espero compartilhar tudo que não consegui no ano passado e muito mais, porque esse ano vem com novas aventuras e novos desafios. Hell, espero que eu consiga finalmente criar o bendito canal no YouTube que eu tô querendo criar há tanto tempo! Deseje-me sorte. 

Por último, eu queria agradecer a você que tá aqui lendo esse post. Nem todo mundo sabe que tenho um blog, até porque não divulgo nada. Mas são as poucas pessoas que aparecem por aqui me inspiram a continuar com esse espaço. Seja uma amiga que sempre me pergunta quando vou voltar com um blog, alguém da família que esteja aqui tentando acompanhar um pouco da minha rotina ou alguns desconhecidos bacanas que normalmente têm gosto parecido com o meu, haha! E mesmo esse blog sendo um jeito que encontrei pra registrar minha vida e meus hobbies, se eu não tivesse o desejo de compartilhar, ficaria tudo nos meus journals. Então obrigada, de verdade. A gente se fala em breve!

Um beijo.





P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Bloglovin'