The Selection (Kiera Cass)

23.1.16 Sincerely Ronnie 1 Comments


Ainda atualizando o blog com os posts antigos do Book Club, pois é. Essa resenha foi postada originalmente em julho de 2015, no The More that You Learn. O gênero escolhido naquele mês foi "Distopia" e resolvemos fazer algo diferente. Normalmente todas nós lemos o mesmo livro e no final escrevemos uma resenha - assim, é possível saber o ponto de vista de cada uma sobre uma mesma história. Dessa vez, porém, cada uma leu um livro. Achamos que podia ficar legal assim, já que esse é um gênero relativamente novo e algumas pessoas ainda não o conhecem muito.

A minha escolha foi "A Seleção", da Kiera Cass. Eu, como sempre, super atrasada pra hype das coisas, haha! Mas como uma galera tava numa rasgação de seda com esse livro há tempos, resolvi conferir. Pra saber o que eu achei é só continuar lendo! Assim como todas as resenhas aqui do blog, essa também não tem spoilers ;)

Sinopse: "Para trinta e cinco garotas, a Seleção é a chance de uma vida. É a oportunidade de ser alçada a um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás o rapaz que ama. Abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe - e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que nunca tinha ousado imaginar."

Apesar de já ter assistido adaptações cinematográficas de "Jogos Vorazes", "Maze Runner" e "Divergente", eu nunca tinha lido uma distopia até então. Eu já sabia um pouco do que esperar em termos de cenário, de forma geral, mas "A Seleção" destoa bastante desses outros.

A história se passa depois da Quarta Guerra Mundial, onde os EUA se transformaram em "Illéa", uma monarquia. A sociedade é agora dividida em castas, que vão da Um a Oito (sendo a Um a da família real e a Oito a mais baixa, dos miseráveis e indigentes). A narrativa é feita em 1ª pessoa pela protagonista, America Singer. Ela e sua família são Cincos e pertencem à casta dos artistas, trabalhando muito para ter o que comer. America mantém um relacionamento secreto com Aspen Leger, um Seis, com quem já planeja se casar e ter filhos.

Eis que um belo dia, America recebe um comunicado oficial do governo, convidando-a a se inscrever na Seleção. Mas isso é tudo que America menos deseja, pois aparentemente ela já tem tudo figured out e quer mesmo se casar com Aspen. No entanto, sua família a pressiona ao máximo para se inscrever (pois as famílias das participantes recebem ajuda financeira) e Aspen também pede que ela o faça -  no caso dele, mais por desencargo de consciência. America decide então se inscrever porque tem certeza de que não vai ser chamada. Mas, adivinha? Ela é uma das Selecionadas. Que surpresa, hein? Hahah!

A Seleção é um concurso onde 35 garotas de Illéa vão morar no palácio e disputar o coração do príncipe Maxon. Lá, America passa a ter um conforto que nunca imaginou ter, faz amigas e inimigas e tenta se acostumar à rotina da família real - que inclui lidar com ataques de rebeldes insatisfeitos com a coroa. E ela acaba percebendo que Maxon é muito diferente do que ela pensava. Daí pra frente não vou contar o que acontece, mas acho que você já deve imaginar...

O negócio todo é igualzinho a um reality show. Tem as câmeras acompanhando as participantes e, assim como em "Jogos Vorazes", tem um antes e depois, entrevistas e roupas bonitas feitas sob medida pra cada Selecionada. Mas não tem pessoas tentando matar umas as outras, fugir de um labirinto, etc. Por isso achei tão diferente das outras distopias que mencionei anteriormente: não tem ação, suspense. Eu diria que é bem girly e foca mais no romance do que no cenário político em si. Pelo menos nesse primeiro livro, não sei os outros. Só pra deixar claro, não achei isso algo ruim - só diferente.

Desde o começo, o livro tem uma narrativa bem dinâmica, bem "direto ao ponto", sabe? Ressalta só os acontecimentos mais importantes e ao mesmo tempo contextualiza bem a história. A autora também não se preocupa em descrever tudo tão detalhadamente. Isso foi bom porque me prendeu logo de início, então foi uma leitura super rápida e também leve. Gostei muito mesmo! :)
Tô louca pra ler os outros já ♥
Recomendo demais pra quem, assim como eu, nunca leu uma distopia, mas já é acostumado com romances e chick lit. Acho que pode ser uma boa introdução ao gênero!

Os livros quase ganharam uma série de TV pela CW, mas o piloto não foi aprovado pela emissora, que considerou o episódio pouco convincente. A série teria Yael Grobglas (a Petra, de "Jane the Virgin"!) como America, Lucien Laviscount como Aspen e Michael Malarkey (de "The Vampire Diaries") como Maxon. Mas, sinceramente, a julgar pelas cenas vazadas, foi melhor mesmo não ter sido aceita, porque não parece ter nada a ver com o livro, haha.

Ainda assim, os direitos da série de Kiera Cass foram comprados pela Warner Bros., então ainda existe a possibilidade de uma adaptação cinematográfica. Acho que daria um filme lindo!

Título: The Selection
Autora: Kiera Cass
Editora: Harper Teen
Número de páginas: 327

Espero que tenha gostado da resenha! Não deixe de conferir as outras, viu? A Isa escolheu "Maze Runner", a Wanila escolheu "Feios" e a Ceci, "Admirável Mundo Novo".

E aí, já leu alguma distopia? Quais você me recomenda? E d'A Seleção, o que achou?






P.S.: Me acompanhe nas redes sociais! Facebook * Instagram * Twitter * Bloglovin'

Um comentário:

  1. Uma das melhores séries de livro que Li!!! Prende muito e cada livro você se envolve mais /Tabata

    ResponderExcluir

What do you have to say about this post? :)